Na Dança do Tempo

Muitas perguntas e nada de respostas, que vida injusta.
Muitas vontades e poucas certezas, que vida maluca.
Entre perguntas e respostas a vida caminha, sem te dar muitas explicações. Desliza pelos ponteiros dos tic-tacs, onde o vento passa
pelos seus cabelos, leva os momentos e traz a leveza, as saudades, as
ansiedades, os sorrisos, as asperezas e delicadezas.
Compreender o tempo é o acalento da mente, a experiência,
o abandono e a delícia de saber que tudo passa, mas a essência fica. E que é aí que mora a magia, que ensina os olhos, amadurece e adoça cada amanhecer, tranquiliza e sussurra a calma da noite e da vida.

– Papoula Brasil